• Qual será o futuro do livro?

    O brasil definitivamente não é um país de leitores, a média anual de livros lidos no país não passa de cinco (5 livros), mas, a temática em questão é o futuro do livro frente às novas tecnoogias.
    Depois de alguns meses de atraso, o Google anunciou que vai lançar até o final deste ano a Google Editions, uma loja virtual de livros digitais (e-books, em inglês) para qualquer tipo de dispositivo que tenha acesso à internet, seja um computador ou um smartphone.
    Seria esse o princípio do fim para os livros como conhecemos? Seriam eles transformados em plataformas digitais?
    Analistas de mercado disseram que existem vários senões à estratégia do Google, como o que acontecerá quando o usuário não tiver acesso à internet, já que o livro será armazenado na própria rede em comparação com a possibilidade de gravar o livro em tablets como Kindle, iPad ou Nook. Outro problema levantado por especialistas é que o internauta terá de parar de ler quando os servidores do serviço caírem.
    Tudo aponta para esse caminho, as novas gerações (a partir da classe média) já passam mais tempo "plugado" em algum aparelho eletrônico do que em contato com físico com outras pessoas, para essa geração manusear um "arquivo digital" é bem mais fácil, rápido e prazeroso. Talvez isso até ajude a criar mais leitores, uma das poucas certezas é que a leitura ainda é a melhor maneira de adquirir conhecimento, é por meio dela que as gerações vão perpetuando a história e repassando suas descobertas.

    As repostas para os questionamento deste artigo virão com o tempo, e tempo, na era digital voa literalmente, "tomara" que na mesma proporção das mudanças aconteça também a verdadeira inclusão digital.
  • Outras postagens que podem ser do seu interesse

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Deixe seu comentário