• SEMMA de Marabá intercepta pesca predatória de peixes ornamentais no Rio Tocantins

    Dois pescadores foram flagrados por agentes ambientais da SEMMA (Secretaria de Meio Ambiente de Marabá) quando faziam uma pesca no mínimo incomum. Os ‘pescadores’ usavam equipamento de mergulho para capturar peixes ornamentais nas proximidades da ponte rodo ferroviária, local onde fica o maior complexo de pedrais da cidade.

    Os agentes liderados por Elivaldo Rodrigues Lima (Lili) faziam uma ronda de rotina para coibir a pesca predatória no período do defeso quando perceberam uma movimentação estranha, de longe eles presenciaram um mergulho que durou mais do que o normal para um simples banhista, ao se aproximarem a constatação, tratava-se de pesca com equipamento de mergulho improvisado.



    Com os pescadores foi apreendido o seguinte material: motor compressor, rede de pesca, além de peixes de pequeno porte como Acari (cari). Esse tipo de pesca além de ser crime ambiental ainda coloca em risco a vida dos próprios pescadores já que o equipamento improvisado utiliza energia para alumiar o fundo do rio.  

    Segundo ambientalistas da SEMMA, um dos pescadores era de Marabá e o outro de Belém, os peixes sairiam de Marabá com destino a Belém e de lá ganharia o mundo. Os agentes informaram ainda que um dos pescadores apresentou uma carteira “ vencida” de pescador ornamental, contudo, mesmo se estivesse em dia, ela não daria direito à pesca no rio Tocantins, e, principalmente, no período da piracema. Quanto aos valores, peixes seriam repassados em média por 25 reias a unidade. Entre as espécies apreendidas estão ‘caris’ em miniatura e outros que podem chegar a um metro quando adultos.  

    Os pescadores vão responder por crime ambiental e tiveram todo o equipamento apreendido, inclusive embarcação e motor.
    Reprodução autorizada pelo MEPA
  • Outras postagens que podem ser do seu interesse

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Deixe seu comentário